Descubra como destacar a sua escola com uso de dados educacionais

Startup business teamwork meeting concept.Ser referência na área da educação com certeza é um sonho para todas as instituições de ensino. Além de garantir uma boa reputação, a escola garante uma boa contribuição à sociedade ao seu entorno com a qualidade do seu ensino em diferentes aspectos.

Porém, muitas vezes esse sonho parece muito distante porque as escolas não conseguem visualizar as etapas que devem ser tratadas para alcançar esse objetivo.

Mas fique tranquilo, estamos aqui para te ajudar e mostrar que, com a tecnologia, esse objetivo se tornou muito mais palpável e que, independentemente do porte da sua escola ou localização que ela se encontra, é possível se destacar e até ser referência na sua área de atuação. Isso porque com o uso de ferramentas digitais os dados ficam arquivados e são mais facilmente visualizados.

Para que servem os dados?

Bom, de nada adianta ter os dados facilmente acessados se eles não forem analisados com uma proposta: melhorar o desempenho dos alunos/escola. Os dados permitem trazer um olhar mais detalhado tanto do coletivo como do individual e assim é possível observar o nível de aprendizado dos alunos.

São os dados, portanto, os indicadores de desenvolvimento dos alunos. Mas para usá-los é necessário entender o contexto que a escola e os estudantes estão inseridos. Os dados isolados não trazem informações suficientes para a elaboração de uma estratégia com as etapas que precisam ser cumpridas.

Olhar o cenário é fundamental para entender quais os aspectos que a escola deve melhorar, qual é a realidade que ela está inserida e como ela pode suprir as demandas que vêm dos seus alunos. Por isso, quanto mais dados internos e externos você tiver, melhor serão suas intervenções.

A maior prova disso, são as redes sociais que nos fisgam, pois conseguem nos oferecer conteúdo personalizado através dos nossos dados que são indicadores dos nossos gostos pessoais. Por isso, quanto mais dados melhor vai ser a intervenção pedagógica.

Mas como analisar os dados?

A comparação de dados é feita por etapas, quanto mais completas forem essas etapas, melhor, e mais aprofundada será a análise, tornando a projeção de metas mais reais. O primeiro passo é realizar uma avaliação com os alunos por área de conhecimento, assim será possível identificar características de rendimento dentro de cada área.

Realizada essa etapa e calculada a média de nota dos estudantes por área de conhecimento, destrinche as notas em grupos diferentes que pode ser de: 0 a 200; 201 a 400; 401 a 600; 601 a 800 e; 801 a 1000, por exemplo. Assim você poderá visualizar o porcentual de quantos alunos estão dentro de cada uma dessas distribuições de 0 a 1000. Esse gráfico pode ser facilmente montado em uma planilha de Excel com a ajuda de um professor da área de exatas.

As informações também serão mais facilmente extraídas caso você conte com um recurso digital que te possibilite consultar o desempenho dos estudantes por atividade, disciplina ou habilidade. Se a ferramenta também te permitir, você poderá identificar a taxa de acerto por item, com a plataforma Kademi, sua análise será ainda mais rica.

Após toda essa análise, ainda é preciso estabelecer parâmetros de comparações. O primeiro deve ser interno, qual a área de conhecimento com maior índice de acertos e qual foi a com menor índice? Quais são os porcentuais de defasagem entre uma área de conhecimento e outra? Entendendo esses pontos a escola deve buscar referências para comparar os seus dados, ou seja, comparar com escolas que tenham a mesma realidade ou parecida com a sua.

Caso você queira ampliar ainda mais sua análise, é possível consultar informações públicas de provas avaliativas a nível nacional e verificar o índice de desenvolvimento dos estudantes a nível Brasil. Assim, você consegue entender se o rendimento na sua escola na área de exatas está baixo ou se o dos estudantes brasileiros estão baixos. Mas é importante frisar que aspectos econômicos têm grande influência nesse resultado.

Como atrelar análise dos dados ao trabalho em sala de aula?

Quantos mais dados você tiver e mais você se debruçar sobre eles, melhor você conseguirá entender as dificuldades dos seus alunos. Ou seja, além de realizar avaliações ricas em detalhes é preciso manter constância nelas, para que você enxergue também a evolução dos alunos.

Dessa forma, você também conseguirá trabalhar a personalização do ensino e estabelecer ações efetivas para o desenvolvimento dos seus estudantes. Portanto, os dados na educação fornecem insights sobre o desempenho de alunos e turmas e por isso devem estar atrelados ao planejamento pedagógico dos professores e orientadores.

Para conseguir implementar essas ações ao planejamento do educador, é preciso trazer os resultados da sua análise ao conhecimento de todos e fundamentá-los com a investigação com base em dados realizada por você. Assim, os professores entenderão a importância e conseguirão detectar pontos fortes e fraquezas dos alunos, definindo quais os conteúdos devem ser priorizados.

É preciso salientar que a melhor estratégia é trabalhar com intervenções humanizadas e propostas condizentes com a realidade de cada turma, portanto, personalizada a cada necessidade. Por isso, esse é um trabalho que deve sempre ser realizado em conjunto com a comunidade escolar, inclusive os próprios alunos.

O Kademi é um Ambiente Virtual de Aprendizagem que te ajuda na coleta de dados focado no desenvolvimento integral dos alunos. Na plataforma, os professores contam com ferramentas para envio de diferentes tipos de atividades como jogos educacionais, trabalhos, fóruns, redações, entre outros e com as anotações das notas atribuídas pelos educadores as informações ficam salvas e podem ser consultadas por diretores, gestores e coordenadores educacionais a qualquer momento.

Quer saber mais sobre o Kademi? Acesse www.kademi.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>